Seu armário merece um Google Drive

Seu armário merece um Google Drive

Toda vez que me proponho a arrumar meu guarda roupa preciso de alguns dias pra me preparar psicologicamente. Por que não se trata apenas de arrumar, mas também de limpar todos os cantinhos, olhar de novo pr’aquela calça de veludo marrom que já tem dois invernos no mesmo cabide, sem uso. Vai pro saco de doação ou não?*

Penso e pondero. E essa blusa de lã listrada? Até que combina com a calça marrom…. E esse vestido tie die que comprei pro ano novo de 2018/2019 e só usei por meia hora? Longo, lindo, mas ta lá, sem uso. Talvez se eu cortasse um pedaço do comprimento e fosse transformando até ele ficar pouco acima do joelho? É uma!

As camisetas ficam enroladinhas nas caixinhas de cerveja corona extra. Parece, mas não é piada. Foi o jeito que dei de organizar as bonitinhas e ganhar espaço nas prateleiras. As camisetas de mangas longas e as blusas de lã ficam no andar de baixo, semi dobradas pra não pegar cheiro de guardado e transformar meu nariz numa bica, quando o tempo muda de repente.

Aliás, minha filha Luiza me alertou que vem uma ursa polar muito forte essa semana e que as temperaturas vão despencar especialmente no sul, oeste e pedaço do sudeste. Nunca gostei do frio. Tem gente que ama aquelas vinte milhões de camadas de roupas, dizem que as pessoas ficam mais chiques e coisa e tal. O escambáu! Eu sou do sol e adoro short, regata e pé no chão.

Voltemos ao armário, já que winter is coming e eu não tenho nenhum dragão na manga.

Junto com os biquínis, cangas, shorts e bermudas, na penúltima prateleira, ficam dois gorros, um par de luvas e um cachecol de lã grossa, os vestidos, saias e blusas que guardo enroladas por que uso amassadas mesmo, no melhor estilo hippie chique. Amo! Especialmente por que não preciso passar. Aliás, não passo roupa há milênios. Acho uma perda de tempo completa. Assim como enxugar louça. Deixo que o tempo e o vento cuidem disso. Tenho mais o que fazer. Ali também estão os meus pijamas, dois de verão e dois de inverno. E meia dúzia de pares de meias.

Lá embaixo de tudo tenho dois pares de botas, três chinelos, dois tênis e prontocabô. Ah! Esqueci lá do primeiro andar onde ficam o pote de remédios, cremes, desodorante, depilador, protetor solar, escova de cabelo e uma bolsinha com outras bolsinhas onde guardo brincos e outros tantos badulaques, papeizinhos, elásticos e batons. Nossa! Quanto tempo não uso batom! A máscara, né? Pois é.  E tem a minha caixinha de esmaltes, alicates, palitinhos, acetona, algodão, pinça, espelho, tesourinha e…. cansei só de pensar que preciso dar um jeito nas unhas e nas sobrancelhas. Detalhe: mesmo com aquele espelho que aumenta tudo, de óculos, não enxergo pra tirar os pelos que crescem tortos, uns pretos, vários brancos e, afinal de contas, pra quê mesmo a gente precisa ir contra a natureza e arrancar o que nasce naturalmente? Cada vez menos entendo essas regras e formatações das quais, com licença, passo longe.  

Em frente! Esse é um lado do armário. Do outro ficam as roupas de cama na prateleira acima  dos cabides com calças (inclusive a de veludo marrom), uniformes de trabalho, lenços e pashminas, duas camisas, algumas saias, dois casacos de lã e uma jaqueta de capuz .

Embaixo deles, no vão livre, minha sacola de documentos, contas pagas e a pagar, uma bolsa e, dentro dela, várias outras bolsas menores com seiláoquetantotemlá. E no andar térreo uma caixa cheia de conchinhas que venho colecionando desde que vim morar perto do mar, uma sacola com várias outras sacolas dentro que, acredito, um dia vou precisar.

Pra ficar do jeito que eu gosto, vou tirando as coisas por partes, já aproveitando pra ver validade dos produtos, passando um bom pano com álcool e, enquanto seca, esvazio outro compartimento, recoloco as coisas do anterior e assim prossigo, até a última espanada pelo lado de fora. Obviamente que, no meio da empreitada, paro e me pergunto diversas vezes: de quem foi a ideia maluca de fazer isso? Minha! Eu sei.

Suspiro e sento na cama pra admirar o resultado da arrumação. Tá locodelindo! Que  satisfação  em  ver que existem espaços entre as coisas, que existe uma ordem, uma seqüência e que fica muito mais fácil de achar até aquele carretel com a linha branca?!

Muito bem! Imbuída desse sentimento prazeroso que é o de, segundo o lema do personagem Teodoro, em “Dona Flor e seus dois maridos”, de Jorge Amado, “um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar”, passo o armário arrumado pra Isa. Por qual motivo?

O próximo tema do nosso blog, a ser publicado na quinta-feira, 29/07 será: “Como usar o Google Drive – guia com o passo a passo e dicas para aproveitar o que há de melhor na ferramenta que, basicamente, tem como objetivo organizar arquivos, textos, fotos, vídeos e tudo o mais que você tiver espalhado na sua área de trabalho.

Além disso, ela vai responder a perguntas como:

O que é o Google Drive e como usar?

Como faço para acessar o Google Drive?

Como faço para criar uma conta no Google Drive?

Como acessar o drive do celular?

Como fazer download do Google Drive no PC?

Como fazer download do backup do Google Drive? (uia!)

Entre outras coisinhas mais!

Não perco nem que a vaca tussa!

Até porque organizar o exterior ajuda a colocar ordem no nosso interior. OOOOOOOooooooommmmmMMMMMMMMM.

* Aproveitando o assunto, que tal darmos uma catada em nossos guarda roupas e tirar para doação o que não usamos mais? A onda de frio vem pra cima e vem roncando, é branca e gelada. E vai judiar principalmente de quem mora nas ruas e nem armário tem….

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *