blog_isa_nuvem

O que é Nuvem e como fazer para acessar?

Se você não sabe o que é nuvem e como fazer para acessar, este post é pra você. Sendo cringe, eu já usava computadores antes da existência dos celulares. A gente fazia download de tudo e nossas máquinas precisavam ter cada vez mais espaço de armazenamento pra guardar filmes, séries, jogos, TUDO! Mesmo que a gente não fosse mais assistir era tão chato encontrar e esperar um download eterno acabar que a gente preferia guardar. Vai que… Porém na última década os hábitos mudaram. Agora jogamos, assistimos e ouvimos tudo por streaming. Basta ter uma boa conexão com a internet e tudo se torna acessível instantaneamente através da nuvem.

Tá, mas o que é nuvem e como fazer para acessar?

Falando tecnicamente a nuvem não é uma entidade física, mas uma vasta rede de servidores remotos ao redor do globo que são conectados e operam como um único ecossistema. Estes servidores são responsáveis por armazenar e gerenciar dados, executar aplicativos ou fornecer conteúdos ou serviços, como transmissão de vídeos, webmail, software de produtividade ou mídias sociais. Em vez de acessar arquivos e dados locais, de um HD externo, pendrive ou de um PC na sua rede local, você pode acessá-los online, usando qualquer dispositivo com acesso à Internet. As informações estarão disponíveis em qualquer lugar, a qualquer hora.

Atualmente o que não faltam são serviços online. Quer assistir filmes ou séries? Temos YouTube, Netflix, Amazon Prime, Disney+, Apple TV+, Globo Play… isso pra falar dos mais conhecidos. Agora se você deseja ouvir música pode recorrer ao Spotify, YouTube Music, Deezer, Resso, etc.

Como funciona o armazenamento em nuvem?

Mas nem só de streaming vive a nuvem. Pra aumentar a capacidade de armazenamento de computadores e celulares, fazer backup automático ou pra compartilhar arquivos temos disponíveis diversos serviços gratuitos e pagos. Entre os mais populares estão o Google Drive, Google Fotos, iCloud, One Drive e Dropbox. Podemos acessar todos estes serviços pela internet. Através de aplicativos no celular, programas de sincronização automática no computador ou site usando seu navegador preferido.

Uma curiosidade é que, muitas vezes, seus arquivos podem estar armazenados em outro país. Os servidores Google, por exemplo, estão hoje em 12 países: EUA, Canadá, Brasil, Inglaterra, Bélgica, Alemanha, Holanda, Índia, Singapura, Taiwan, Japão e Austrália. Imagina uma forma melhor de fazer backup? Ainda que haja uma catástrofe natural em algum desses países seus dados provavelmente estarão seguros. Porque a empresa faz cópias de segurança em servidores de diversos data centers. Um data center é um local físico que possui um alto nível de segurança digital e física.

Para acessar serviços na nuvem geralmente é necessário ter uma conta. Com ela você poderá compartilhar, editar e até mesmo excluir os arquivos armazenados na nuvem.

Como tudo na vida, o armazenamento na nuvem possui vantagens e desvantagens

Um ponto positivo é que não precisamos comprar hardwares para armazenar seus arquivos. Isso ajuda a baratear o custo dos dispositivos, reduz o peso deles e nos oferece infinitas possibilidades de acesso. Seja utilizando um ou vários serviços que possuem espaço considerável para armazenamento de forma gratuita. Seja expandindo o espaço de armazenamento através de assinaturas que são bastante acessíveis.

Além disso, quando utilizamos a nuvem acessamos arquivos sem a necessidade de encontros presenciais. Equipes podem trabalhar remotamente e compartilhar arquivos na nuvem.

A principal desvantagem é a necessidade de estar constantemente conectado à internet. Isso pode se tornar um empecilho, pois nem todas as áreas possuem conexões estáveis. Em diversos lugares os usuários podem enfrentar problemas para acessar seus arquivos.

Por que o nome nuvem?

Nós utilizamos o termo “nuvem” desde a criação da internet nos anos 70. Geralmente profissionais de tecnologia representam a internet com o desenho de uma nuvem.

o que é nuvem e como fazer para acessar
Desde os anos 1970 a palavra “nuvem” era utilizada para se referir à internet (Imagem: Reprodução/How-To Geek)

Dessa forma indicamos que não importa o caminho pelo qual a informação siga. Em tecnologias cliente x servidor o que importa são as pontas. Quem está acessando? Onde está a informação buscada? Quem será responsável por processar a requisição?

Dá pra gente imaginar o futuro desses serviços?

Dá sim. Existem serviços que não estão disponíveis no Brasil ou ainda não se popularizaram. No caso de serviços de streaming de jogos, como o PlayStation Now, a esperança é de que se tornem cada vez mais acessíveis ao público com o lançamento do Google Stadia e do Projeto xCloud da Microsoft.

Muitos avanços foram conquistados e não há limites para a tecnologia. E a esperança é de que as novas tecnologias se tornem cada vez mais acessíveis para o grande público.

Em breve irei publicar tutoriais para acesso a diversos serviços mencionados aqui, então siga a ITC nas redes sociais e fique sabendo de todas as novidades. Espero ter respondido a questão levantada pela @lanachueri no post “Papo reto…”. Se você também tem dúvida sobre esse assunto, seja ela sobre como usar ou mais técnica, deixa sua pergunta aqui nos comentários que a gente descomplica a tecnologia pra você.

7 Responses

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *